sexta-feira, 28 de julho de 2017

A vida é poesia





A vida é um caso de amor, é poesia, é música. Não faça perguntas feias como: qual é o propósito? Porque no momento em que você pergunta isso, você se desconecta da vida. A vida não pode ser interligada por questões filosóficas. A filosofia precisa ser deixada de lado.

Crença na poesia

O amor é a única poesia que existe. Todas as outras poesias são apenas um reflexo dele. A poesia pode estar no som, pode estar na pedra, pode estar na arquitetura, mas basicamente esses são todos reflexos do amor, captados em diferentes veículos.
Mas a alma da poesia é o amor, e aqueles que vivem o amor são os poetas reais. Eles podem nunca escrever poemas, podem nunca compor uma música, podem nunca fazer algo que normalmente as pessoas consideram como arte, mas aqueles que vivem o amor, que amam completa e totalmente, esses são os poetas reais.
A religião é verdadeira se ela criar o poeta em você. Se ela matar o poeta e criar o pretenso santo, ela não é religião: é patologia, um tipo de neurose vestida com termos religiosos.
A verdadeira religião sempre libera a poesia, o amor, a arte, a criatividade em você, ela o deixa mais sensível. Você pulsa mais, seu coração tem uma nova batida, sua vida não é mais um fenômeno monótono e trivial. Ela é uma constante surpresa, cada momento abre novos mistérios.
A vida é um tesouro inesgotável, mas somente o coração do poeta pode conhecê-la. Não acredito em filosofia, não acredito em teologia, mas acredito na poesia.

Osho, em "Osho Todos os Dias - 365 Meditações Diárias"

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Quero saber envelhecer!



Deixem-me envelhecer sem compromissos 
e cobranças,
Sem a obrigação de parecer jovem e ser bonita 
para alguém,
Quero ao meu lado quem me entenda e me ame 
como eu sou,
Um amor para dividirmos tropeços desta nossa 
última jornada,
Quero envelhecer com dignidade, com sabedoria 
e esperança,
Amar minha vida, agradecer pelos dias que ainda 
me restam,
Eu não quero perder meu tempo precioso 
com aventuras,
Paixões perniciosas que nada acrescentam 
e nada valem.
Deixem-me envelhecer com sanidade 
e discernimento,
Com a certeza que cumpri meus deveres 
e minha missão,
Quero aproveitar essa paz merecida para 
descansar e refletir,
Ter amigos para compartilharmos experiências, conhecimentos,
Quero envelhecer sem temer as rugas e 
meus cabelos brancos,
Sem frustrações, terminar a etapa final 
desta minha existência,
Não quero me deixar levar por aparências 
e vaidades bobas,
Nem me envolver com relações que vão 
me fazer infeliz.
Deixem-me envelhecer, aceitar a velhice 
com suas mazelas,
Ter a certeza que minha luta não foi em vão: 
teve um sentido,
Quero envelhecer sem temer a morte 
e ter medo da despedida,
Acreditar que a velhice é o retorno de 
uma viagem, não é o fim,
Não quero ser um exemplo, quero dar um 
sentido ao meu viver,
Ter serenidade, um sono tranquilo e andar 
de cabeça erguida,
Fazer somente o que eu gosto, com a sensação
 de liberdade,
Quero saber envelhecer, ser uma velha 
consciente e feliz!!!

Silvana Freygang